A Covid-19 ficou em terceiro lugar na lista de doenças que mais tiveram concessões de auxílio-doença em 2020, atrás apenas de problemas relacionados a coluna e ombro. 

Os números são da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho. No total, foram 37.045 liberações do benefício por incapacidade temporária provocada pela doença. Minas ficou em terceiro na lista dessas concessões, com 2.826, atrás de São Paulo (11.902) e Distrito Federal (6.239).

Do total nacional, 36.863 concessões são relacionadas ao auxílio-doença previdenciário e 182 ao auxílio-doença por acidente de trabalho (quando é causado em razão do trabalho, como no caso dos profissionais da saúde). 

Para o advogado trabalhista Bernardo Lage, a Covid-19 somente pode ser considerada uma doença de trabalho se for demonstrado que o trabalhador contraiu a doença no ambiente de trabalho. “É preciso ver se existe um nexo de causa entre contaminação e ambiente de trabalho. Para evitar isso, as empresas sigam à risca as medidas sanitárias para diminuir os riscos de contaminação e garantir a segurança dos empregados”, enfatiza Lage, lembrando que muitos auxílios ligados à Covid-19 foram concedidos pela Justiça em caráter liminar.

Leia mais:

Pandemia de processos: ações trabalhistas ligadas à Covid voltam a subir, refletindo avanço do vírus