A presidente Dilma Rousseff se emocionou em discurso a chefes de Estado do Mercosul nesta sexta-feira (17) ao prestar homenagem à presidente da Argentina, Cristina Kirchner. A dirigente argentina está em seu último ano de mandato e não pode se candidatar novamente, por já ter sido reeleita.

"Quero dizer que terá aqui no Brasil uma amiga sempre pronta para recebê-la e juntas compartilharmos sistematicamente nossos sonhos e nossas esperanças", disse Dilma, quando começou a chorar, entre aplausos dos participantes da reunião.

"Nesses oito anos em que lhe coube presidir a Argentina, todos fomos testemunhas de como a minha querida amiga e presidente imprimiu condução firme e democrática ao seu País. Assistimos também à força com que assumiu a causa da integração sul americana e como defendeu os países da região", afirmou.

No encontro, Dilma falou sobre medidas tomadas em conjunto pelo Mercosul. Segundo ela, será criado um registro de agricultores familiares do bloco. Também defendeu a importância da inserção competitiva dos países na "era do conhecimento, com integração de programas de capacitação e intercâmbio de estudantes". Dilma disse ainda que não abre mão da segurança digital dos cidadãos do bloco.