O governo de Minas Gerais oficializou, ontem, as novas tarifas de gás canalizado da Companhia de Gás de Minas Gerais (Gasmig), aprovadas pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sede), que valem para os consumidores industriais e veiculares do estado. O produto ficará 7% mais barato para grandes indústrias e 7,6% mais em conta para consumidores do segmento veicular. 

A medida acompanha deflação significativa registrada em outros combustíveis, cujos preços foram impactados pela queda de demanda mundial pelos produtos, sobretudo após o início da pandemia da Covid-19. Em Belo Horizonte, por exemplo, o preço do litro da gasolina baixou 6,54% e o do etanol, 10,19%, na terceira quadrissemana de abril, segundo dados divulgados terça-feira (28) pela Fundação Ipead/UFMG. 

“Publiquei novas tarifas de gás canalizado da Gasmig. Os novos valores tarifários representam queda de 7% para os grandes consumidores industriais e 7,6% para os consumidores do segmento veicular. A medida traz alívio para as indústrias e consumidores de gás veicular durante a crise da Covid-19”, afirmou o governador Romeu Zema, por meio das redes sociais.

“A Secretaria de Desenvolvimento Econômico e a Gasmig entendem que o estado vive um momento econômico grave e que a empresa tem papel fundamental na ajuda da superação da crise e retomada do crescimento econômico”, acrescentou, por meio de nota divulgada pela assessoria do governo estadual, o secretário-adjunto da Sede, Fernando Passalio.

Negociações

As melhorias nas condições de pagamento, que estão sendo repassadas aos clientes da Gasmig são, segundo o Estado, consequência de negociações feitas entre a concessionária e a Petrobras, fornecedora do gás natural.

A crise econômica que abala o mundo também afetou o setor de gás canalizado em Minas, onde o consumo caiu cerca de 35% até meados do mês de abril, o que está provocando redução das receitas da Gasmig.

Mesmo com os déficits, a avaliação da Gasmig e da Sede é de que a companhia tem condições de repassar a atual redução na tarifa e ainda se sustentar financeiramente durante a pandemia. Então, além das reduções, os clientes adimplentes contam com condições de parcelamento de suas faturas dos meses de março, abril e maio, sem cobrança de encargos.

Outras medidas estão sendo analisadas pela secretaria e a Gasmig para aliviar os consumidores de gás natural no estado. Vale ressaltar que a Sede segue monitorando a evolução do mercado de gás e as condições da concessionária de se adequar à crise.