Quase um ano após ocupar a função de forma interina, Dyogo Oliveira foi efetivado ministro do Planejamento. A informação foi confirmada pelo Palácio do Planalto nesta sexta-feira, 31. Ele assumiu o cargo no fim de maio de 2016, quando o atual líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), se afastou do cargo de ministro.

Jucá ficou apenas 11 dias à frente do Ministério do Planejamento. Ele saiu da pasta após a divulgação de gravações em que conversava com o ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado e dizia que era preciso "estancar a sangria" das investigações da Operação Lava Jato, através de um pacto nacional.

Quando Jucá saiu, Dyogo, que era secretário-executivo da pasta, assumiu o cargo de forma interina. Ele já havia ocupado o mesmo cargo na equipe do ex-ministro Nelson Barbosa, tanto no Planejamento quanto na Fazenda.

Leia mais:
Turismo, Meio Ambiente, Esportes e Agricultura são os mais atingidos por corte
O PAC será contingenciado em R$ 10,5 bilhões, diz Dyogo