SÃO PAULO - A poupança "velha", que rende conforme as regras antigas da aplicação -0,5% ao mês ou 6,17% ao ano + TR (Taxa de Referência)-, teve em 2012 a pior rentabilidade real (rentabilidade nominal menos a inflação) dos últimos oito anos, segundo levantamento da consultoria Economatica divulgado nesta quinta-feira (10).

Em 2004, a poupança teve 8,10% de rendimento nominal, mas apenas 0,46% de rendimento real devido à alta inflação. No ano passado, ela rendeu nominalmente 6,47% e 0,60% descontada a inflação. O melhor dos últimos dez anos para o poupador foi 2006, quando a aplicação rendeu 5,10%, já descontado o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), índice oficial de inflação no Brasil.

O rendimento nominal da poupança em 2012 foi o menor dos últimos 46 anos.
 
Nova poupança

O dinheiro aplicado a partir 4 de maio de 2012, passou a obedecer a nova regra da poupança. O governo definiu que a aplicação renderá menos sempre que a Selic for igual ou inferior a 8,5 % ao ano. Para os depósitos e as contas feitos antes dessa data, não há mudanças. As novas cadernetas têm seus rendimentos calculados com base em 70% da Selic (taxa básica de juros da economia brasileira), acrescidos da TR (que cai a zero). Com a Selic a 8,5%, por exemplo, a taxa de remuneração da poupança é de 5,95% ao ano. Com a Selic no atual patamar (7,25% ao ano), a nova poupança rende 5,075%.

Motivo

A nova regra, que entrou em vigor via medida provisória, foi uma decisão da presidente Dilma Rousseff para liberar o BC (Banco Central) a reduzir a taxa oficial de juros do Brasil, que serve como referência para o mercado e é uma das maiores do mundo.

Como a poupança tinha um rendimento mínimo e seus ganhos são isentos de IR, ela se tornaria mais atrativa que os investimentos em renda fixa com a queda da Selic.