A inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo - 15 (IPCA-15) registrou alta de 0,79% em dezembro, após subir 0,38% em novembro, informou nesta sexta-feira (19), o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O resultado na leitura mensal ficou dentro do intervalo de estimativas dos analistas do mercado financeiro consultados pelo AE-Projeções, que esperavam inflação entre 0,60% e 0,85%, com mediana de 0,75%. Com o resultado anunciado hoje, o índice acumulou alta de 6,46% em 2014.

Em dezembro, os grupos Alimentação e Bebidas (+0,94% em dezembro) e Transportes (de +1,59%) exerceram forte pressão sobre o índice, sendo responsáveis por 66% do indicador, visto que, juntos, tiveram impacto de 0,52 ponto porcentual, com os alimentos em 0,23 ponto porcentual e os transportes, em 0,29 ponto porcentual.

O item passagens aéreas foi destaque no grupo Transportes, com aumento de 42,42% e 0,19 ponto porcentual, o principal impacto do mês. A gasolina (2,15% e contribuição de 0,08 ponto porcentual) foi outro destaque. O aumento de 3% do combustível nas bombas foi feito em 7 de novembro.

A energia elétrica (+1,54%) foi o item que exerceu a maior pressão no grupo Habitação, que subiu 0,71%. O resultado decorreu, principalmente, do aumento de 9,85% registrado na região metropolitana do Rio de Janeiro, tendo em vista o reajuste de 17,75% em uma das concessionárias, em vigor desde 7 de novembro. No ano, a energia subiu 17,14%, e as despesas com Habitação subiram 8,76%, a mais elevada variação de grupo.