Após inaugurar mais uma base de distribuição de combustíveis em Mato Grosso, a Raízen, joint venture entre Shell e Cosan, se prepara para a construção de novos centros. Em entrevista ao Broadcast, serviço em tempo real da Agência Estado, o gerente de Novos Negócios e Infraestrutura da área de Logística, Distribuição e Trade da companhia, Luiz Filipe Saraiva, afirmou que alguns projetos estão em fase de aprovação e poderão ser anunciados em breve, mas não deu mais detalhes. "A Raízen continua com seu plano agressivo em termos de distribuição de combustíveis", disse.

Conforme Saraiva, "Mato Grosso é onde há expansão da fronteira agrícola nacional, onde a área cultivada tem potencial para crescer". "Nos últimos anos, o PIB (Produto Interno Bruto) do Estado tem crescido até duas vezes mais que o do Brasil", comentou, explicando o porquê dos investimentos no local.

Desde 2011, a Raízen aplicou R$ 120 milhões em bases de distribuição no Estado e em ligações, via modal ferroviário, com a Refinaria de Paulínia (SP). Além do centro de Rondonópolis, inaugurado com expectativa de movimentar mais de 1 bilhão de litros de combustíveis por ano, a empresa possui também as unidades de Cuiabá e de Alto Taquari.

"O viés do projeto (de Rondonópolis) é aproximar o Sudeste do Centro-Oeste, que são grandes produtores e consumidores de combustíveis", afirmou Saraiva. "Buscamos ganhos de produtividade e de eficiência, pois o mesmo vagão que sobe com produto desce carregado", explicou.

O centro de distribuição de Rondonópolis irá receber diesel e gasolina provenientes de Paulínia (SP) e devolverá biodiesel e etanol ao mercado de São Paulo via ferrovia. O local da base foi adquirido pela Raízen em 2011, sendo que as obras de construção da unidade começaram em junho de 2013.