O relatório de produção do primeiro trimestre de 2019 da Vale, divulgado nesta quarta-feira (8), mostrou queda de 28% na produção de minério fino em relação ao último trimestre de 2018. Se comparado ao mesmo período do ano passado, a redução chega a 11%. Segundo o documento direcionado a acionistas da empresa, um dos motivos para a queda na produção são os impactos da ruptura da barragem em Brumadinho, que aconteceu em 25 de janeiro deste ano.

Outra consequência da ruptura da barragem foi a diminuição na produção de pelotas, que caiu 23% em relação ao último trimestre de 2018 e 5% se comparado ao mesmo período do ano passado. Segundo o relatório, a parada nas usinas de pelotização após a tragédia foi o principal motivo para a queda na produção.

Entre os eventos citados pela Vale no relatório como responsáveis pelo impacto na produção e nas vendas estão, além do rompimento em Brumadinho, a interdição da operação na mina de Brucutu, que é a maior de Minas Gerais, por risco de rompimento da barragem de Laranjeiras; a suspensão da produção nos Complexo de Vargem Grande e Fábrica e na mina da Alegria; além do enrijecimento dos parâmetros de segurança de barragens.

Acontecimentos em outros estados também foram citados, como as chuvas em São Luís do Maranhão que impactaram os embarques no porto de Ponta da Madeira e afetaram os volumes de produção no Sistema Norte.

Leia mais:
Kalil diz que possibilidade de racionamento de água em BH foi descartado pela Copasa
Moradores de 15 cidades da Grande BH podem ficar sem água devido à da tragédia em Brumadinho
Sobe para 237 o número de mortos identificados após tragédia em Brumadinho; veja a lista