Rombo nas contas externas do Brasil cresce em agosto e já supera o de todo o ano passado

Renata Agostini - Folhapress
24/09/2013 às 16:22.
Atualizado em 20/11/2021 às 12:43

BRASÍLIA - O deficit nas contas externas do país alcançou US$ 5,5 bilhões em agosto, mais que o dobro do registrado no mesmo mês do ano passado, quando atingiu US$ 2,6 bilhões, segundo dados do Banco Central divulgados nesta terça-feira (24).

Com isso, o rombo no ano já chega a US$ 58 bilhões, superando em 7% o deficit acumulado em todo o ano passado, de US$ 54,2 bilhões.

O montante verificado em agosto é superior ao esperado pela autoridade monetária, que havia previsto deficit de US$ 5,0 bilhões para o mês.
Esse valor corresponde ao chamado saldo das transações correntes do país. A conta reflete as operações comerciais e financeiras do Brasil com outros países, incluindo importação e exportação de bens, gastos e receitas com viagens internacionais, remessas de dividendos de empresas, ganhos e pagamentos de juros.

A previsão do BC para o ano é que o deficit chegue a US$ 75 bilhões, um salto de quase 40% frente ao registrado em 2012.

Apenas parte dessa diferença, deve ser "coberta" pela entrada de investimentos estrangeiros diretos (IED), que indicam aportes produtivos no país. A expectativa da autoridade monetária é que essa conta alcance US$ 60 bilhões em 2013, abaixo portando do ano passado, quando registrou US$ 65 bilhões. A projeção foi revisada para baixo pelo BC este mês.

Em agosto, houve ingresso de US$ 3,8 bilhões em IED, redução de 25% frente ao ano passado. Apesar da queda, o resultado foi levemente acima do esperado pela autoridade monetária, cuja previsão era de US$ 3,5 bilhões para o mês. No acumulado do ano, a conta chega a US$ 39 bilhões.

Principais Fatores

O resultado negativo das contas externas no ano pode ser explicado em grande parte pelo baixo desempenho da balança comercial, que mede a diferença entre as importações e exportações do país.

Entre janeiro e agosto deste ano, a balança apresentou deficit de US$ 3,8 bilhões contra superavit de US$ 13,1 bilhões registrado no mesmo período de 2012.

O BC estima agora que haverá saldo positivo no fim do ano de US$ 2 bilhões, frente a estimativa anterior de US$ 7 bilhões. A previsão, porém, ainda encontra divergência no mercado. A AEB (Associação de Comércio Exterior do Brasil) projeta deficit de US$ 2 bilhões para 2013.

O rombo nas contas externas foi impactado ainda pela conta de serviços, que contabiliza, por exemplo, as despesas dos brasileiros no exterior. Ela apresentou em agosto deficit de US$ 4,2 bilhões, 41,6% acima do verificado no mesmo mês de 2012.

Dívida Externa

No mês passado, a dívida externa brasileira chegou a US$ 311,5 bilhões, redução de US$ 6,6 bilhões frente a julho deste ano.

O estoque líquido de reservas internacionais do país teve decréscimo de US$ 854 milhões em agosto em relação ao mês anterior, chegando a US$ 372,8 bilhões.

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por