A base de comparação elevada por causa da Copa do Mundo prejudicou o desempenho de setores como serviços prestados às famílias e os serviços audiovisuais, de edição e agências de notícias, afirmou Roberto Saldanha, pesquisador da Coordenação de Serviços e Comércio do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). "No mês de junho do ano passado, com a Copa do Mundo, esses dois segmentos tiveram crescimento muito expressivo por causa do evento", disse.

Os serviços audiovisuais cresceram 22,8% no período da Copa. Em junho deste ano, o setor viu a receita encolher 18,1% em termos nominais, na comparação com junho de 2014. "A Copa do Mundo traz um volume maior de patrocínios, direitos de transmissão, principalmente para TV aberta e rádios. Isso não ocorreu este ano", explicou Saldanha.

Já receita nominal dos serviços prestados às famílias ficou estável (0,0%) em junho ante igual mês de 2014, com queda de 1,1% no setor de alojamento e alimentação - justamente o mais beneficiado pela Copa do Mundo. À época do evento, a receita nominal (sem descontar os efeitos da inflação) dos serviços de alojamento e alimentação cresceu 12,1% em relação a junho de 2013, destacou o IBGE.

"Neste ano, temos dois problemas. Estamos comparando com base elevada e, no caso de serviços de alojamento e alimentação, há a retração da demanda do consumidor. A retração da renda das famílias impacta de forma maior, elas estão contendo gastos", disse o pesquisador. Saldanha lembrou ainda que o rendimento médio real dos trabalhadores encolheu 2,9% em junho em relação a igual mês de 2014, uma sinalização para a retração do consumo.