O plano de transformar a Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH) em Doisdo setor tecnológico deu mais um salto com a atração de novos empreendimentos. Pelo menos R$ 280 milhões serão investidos nos próximos anos em dois projetos na capital e em Jaboticatubas. 
 
Cerca de R$ 160 milhões sairão do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de Minas Gerais (Senai-MG), ligado à Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg), que na última sexta-feira (13) assinou com o governo do Estado contrato de concessão, por 20 anos, da Fundação Centro Tecnológico de Minas Gerais (Cetec), localizada no bairro Horto. 
 
Outros R$ 125 milhões virão da Intrepid Cortex, empresa gestora de centros tecnológicos concebida pelo grupo português Design Resorts, em parceria com o professor Marcos Pinotti, que acaba de lançar seu primeiro projeto, o Highbrain. A intenção é criar um polo de inovação tecnológica dentro da área de 11 milhões de metros quadrados da Reserva Real, um megaconjunto de condomínios temáticos, arena multiuso, hotel resort e centro comercial em construção em Jaboticatubas.
 
Aeroporto
 
A apenas 15 minutos do Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins, o que facilita a exportação de produtos, o Highbrain ocupará uma área de 250 mil metros quadrados e poderá abrigar até 35 edifícios. Segundo o presidente da Design Resorts, o economista José Miguel Martins, a previsão é de que até 300 empresas sejam instaladas no local em três anos. As instalações provisórias estarão prontas em agosto de 2014. 
 
“O Instituto de Estudo do Futuro de Copenhague, da Dinamarca, foi o primeiro a acertar sua ida para o empreendimento. Outras duas empresas de Belo Horizonte já fecharam conosco. E há ainda uma lista enorme de empresas interessadas”, afirma. As empresas que lá irão se instalar serão dos setores de biologia, mídia, engenharia, tecnologia da informação, telecomunicação e eletrônica.