A partir do dia 13 de maio, 40 startups de oito países e sete Estados brasileiros terão novo endereço fixo: Belo Horizonte. Os empreendimentos foram selecionados, na segunda-feira (17), para a segunda etapa do Startups and Entrepreneurship Ecosystem Development (Seed), programa de aceleração de ideias do Governo de Minas Gerais.

A partir dessa data, cada empreendedor receberá, mensalmente, uma bolsa no valor de R$ 2.000. Durante seis meses – período de duração do programa –, os projetos receberão capital semente de até R$ 80 mil para custear o desenvolvimento de uma versão beta ou, pelo menos, uma prova conceito do produto ou serviço proposto.

“As startups ficarão instaladas na sede do Seed durante as atividades e as equipes terão nosso apoio para localizar imóveis na região. Além disso, os empreendedores terão um espaço disponível para trabalhar enquanto participam da programação”, afirma o gerente do programa, Leandro Campos.

Variedade

Nesta etapa – a primeira aconteceu no final do ano passado e selecionou 37 startups –, o Seed contará com empresas dos setores de comércio eletrônico, educação, energia e tecnologia limpa, finanças, mídia e/ou rede social, organização social, recursos naturais, saúde e biotecnologia, tecnologia móvel sem fio e Tecnologia da Informação e software empresarial.

“A ideia é justamente trazer diversidade para cá, porque ela enriquece muito nosso ecossistema por meio do compartilhamento de conhecimento. A diversidade de nacionalidades e setores é bastante interessante”, diz Campos.

Experiência

O empreendedor Leandro Morais foi um dos selecionados na primeira etapa do Seed. Ele e outros dois sócios vieram de Itajubá e Santa Rita do Sapucaí, no sul de Minas. No momento, eles estão trabalhando – já na versão beta – em um aplicativo de fidelização de clientes de bares e restaurantes para smartphones.

“A experiência está sendo muito positiva, repleta de aprendizados e treinamentos muito interessantes. O ambiente é bom e ficamos menos preocupados em pagar contas no final do mês.

Atualmente, a agenda de atividades dos primeiros projetos a ingressar no programa inclui reuniões semanais, nas quais são discutidos os avanços dos negócios, exercícios de avaliação pessoal e de afinidade com o projeto apresentado, além da promoção de palestras e aulas promovidas pelos próprios empreendedores participantes.