O secretário interino do Tesouro Nacional, Otávio Ladeira, disse que os principais motivos para o déficit expressivo de 2015 foram o crescimento forte das despesas da Previdência Social e a queda expressiva das receitas por conta da fraca atividade econômica. No ano passado, a Previdência Social (INSS) apresentou déficit de R$ 85,818 bilhões, aumento real de 38,4% em relação a 2014.

As despesas totais, por sua vez, subiram 2,1% no ano, enquanto as receitas aumentaram 6,3% na comparação com o ano anterior.

Em 2015, o Governo Central, que inclui Tesouro Nacional, Previdência Social e Banco Central, registrou déficit de R$ 114,985 bilhões. Mesmo excluído o montante pago das "pedaladas" fiscais, o resultado, de R$ 59,4 bilhões, seria o pior da série histórica, que teve início em 1997.