O turismo gerou R$ 103,7 bilhões no País em 2009, segundo o levantamento feito pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em parceria com o Ministério do Turismo. O resultado representa um aumento real de 4,6% em relação a 2008. No mesmo período a economia brasileira teve retração de 0,3%. "Foi o ano da crise, mas que atingiu mais a indústria do que os serviços. E esse setor é praticamente serviços, então não foi afetado", explicou Ricardo Moraes, gerente de Modelos e Métodos da Coordenação de Contas Nacionais do IBGE.

Na comparação com 2003, quando teve início a série histórica do estudo, o avanço na geração de renda do turismo foi de 32,4%, também superior à expansão da economia brasileira no período, que foi de 24,6%.

No entanto, o turismo ainda não conseguiu ampliar a sua participação na economia na mesma velocidade. As atividades de turismo respondiam por 3,6% do valor adicionado da economia brasileira em 2003. Seis anos depois, em 2009, essa fatia aumentou para apenas 3,7%, segundo o levantamento. Ao mesmo tempo, a participação do turismo no setor de serviços encolheu no mesmo período, saindo de 5,6% para 5,5% do segmento.

"Isso está relacionado a preços tanto dos serviços quanto dos insumos consumidos. O ganho de participação no PIB é uma variação importante, mas o ganho de valor gerado é mais importante", afirmou Moraes, citando o exemplo da Agropecuária, que vem mantendo sua participação no PIB ao redor de 5,5% embora seja uma atividade de extrema importância na economia brasileira.

Em 2009, as atividades turísticas empregavam 5,9 milhões de pessoas, o equivalente a 9,9% dos trabalhadores ocupados no setor de serviços. O resultado corresponde a uma fatia de 6,1% do total de ocupados no mercado de trabalho brasileiro. O montante representa um aumento de 1,3% em relação a 2008. Na comparação com 2003, o avanço na ocupação no segmento foi de 10,5%.

Os ocupados nas atividades de turismo receberam R$ 48,8 bilhões em rendimentos, 3,5% do total pago aos ocupados no País. A remuneração média anual foi de R$ 8,3 mil, um aumento nominal de 96,9% em relação a 2003. No mesmo período a remuneração média total dos ocupados no País cresceu 68,6%.