O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, confirmou nesta noite de quarta-feira, 29, que as receitas que o governo espera obter com o leilão de usinas hidrelétricas neste ano chegam a R$ 10,1 bilhões. Esses valores ajudarão a reduzir o rombo de R$ 58,2 bilhões no orçamento deste ano.

"Dissemos que estávamos aguardando algumas decisões judiciais referentes à devolução de hidrelétricas com concessões vencidas ao governo federal. São medidas sólidas, e, felizmente, decisões da Justiça ocorreram ontem e hoje conforme a nossa expectativa. Então são devolvidas à União as usinas de São Simão, Jaguará, Miranda e Volta Grande", detalhou.

O ministro ressaltou que esses leilões garantirão receitas à União que ajudam a diminuir a necessidade do corte no Orçamento. "Isso é um processo da maior importância, porque é um aumento de receita sem haver nenhuma alíquota de tributos ou criação de novos impostos. Portanto, é uma medida virtuosa, digamos a assim", completou.

Meirelles lembrou que o rombo no Orçamento deste ano foi causado em parte pela queda na inflação, que, apesar de ser positiva para o País, gera uma evolução menor das receitas. "O segundo fator foi a recessão maior que a prevista no passado, herdada da política econômica dos últimos anos", completou.

Leia mais:
Meirelles: não fizemos aumento de tributos porque prejudicaria retomada
Dyogo: o PAC será contingenciado em R$ 10,5 bi
Meirelles: impacto da reoneração é de R$ 4,8 bilhões de aumento de arrecadação
Governo corta R$ 42,1 bilhões do orçamento e anuncia aumento de impostos para cumprir meta fiscal