Após cinco meses consecutivos de queda, as consultas para vendas a prazo cresceram 0,78% em agosto, na comparação com o mesmo mês de 2013. De acordo com o indicador apurado pelo SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito) e pela CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas).

O Indicador de Vendas a Prazo foi divulgado nesta quinta-feira, 04, pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL). Em relação a julho deste ano, as consultas para vendas parceladas cresceram 1,86%.

"Apesar da interrupção da trajetória de queda do volume de vendas a prazo, a expansão da atividade varejista no mês de agosto não foi suficiente para reverter a tendência de desaquecimento das vendas no comércio. No acumulado dos oito primeiros meses, frente a igual período de 2013, o indicador soma uma queda de 1,01%", disse o presidente da CNDL, Roque Pellizzaro Junior.

A economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, avalia que o resultado reflete a economia em declínio, em cenário "influenciado principalmente pela manutenção dos juros em patamares elevados, pela persistência da inflação no limite da meta, pelo menor crescimento da renda dos trabalhadores e pelo maior rigor na concessão de crédito".