Pela primeira vez, a Polícia Militar (PM) conta com o auxílio de drones para aumentar a fiscalização contra os crimes eleitorais nas proximidades de seções eleitorais em Belo Horizonte. Nas imediações do Colégio Estadual Central, no bairro de Lourdes, região Centro-sul da capital, uma base de monitoramento foi montada e três equipamentos são usados para captar imagens do alto e identificar qualquer atitude suspeita.

De acordo com o sargento Jonatas Magalhães, os equipamentos usados têm capacidade de captar imagens de uma altura de até 60 metros e ajudam os militares na tarefa de repressão aos que tentam burlar a lei neste domingo (15).

"É uma ferramenta importante e que nos dá uma visão ampliada de toda uma área que está sendo vigiada. Com eles, conseguimos flagrar qualquer atitude suspeita, sem despertar a atenção de quem está cometendo um crime e acionar uma equipe para fazer o flagrante", destaca o militar.

 Equipamentos têm câmeras que captam imagens à noite

Dos três drones usados pela PM neste domingo no bairro de Lourdes, dois têm capacidade de captar imagens no período da noite.

Os equipamentos, que podem custar até R$ 130 mil, também transmitem imagens ao vivo direto para um centro de imagens, facilitando ainda mais a possibilidade de acionar outras equipes da PM para coibir os crimes. "São ferramentas caras, mas que ampliam e muito o nosso poder de ação para dar segurança à população", destaca o sargento Jonatas Magalhães.

Leia mais:
Segundo a Polícia Federal, foram realizados procedimentos para isolar o local e verificar qual seria
Minas Gerais teve sete candidatos presos na manhã deste domingo de eleições; nenhum na capital
Com 13 prisões e sem ocorrência grave, manhã de eleição foi tranquila em Minas, diz TRE