Governador Valadares, no Vale do Rio Doce, e Montes Claros, no Norte de Minas Gerais, correm risco de deixar o seleto grupo das nove cidades do Estado onde as eleições municipais podem ser decididas no segundo turno. 

Para que um prefeito seja escolhido em duas etapas, a localidade precisa ter, no mínimo, 200 mil eleitores. Além dos dois municípios, fazem parte desta lista a capital, três cidades da Região Metropolitana de Belo Horizonte (Contagem, Betim e Ribeirão das Neves), duas do Triângulo Mineiro (Uberlândia e Uberaba) e uma da Zona da Mata (Juiz de Fora).

Em Montes Claros e em Governador Valadares, o total de pessoas aptas a votar pode recuar, reduzindo para abaixo de 200 mil pessoas, em razão da biometria (cadastramento das impressões digitais), criada como uma das formas de combater fraudes diante das urnas.

A biometria exige que o eleitor vá pessoalmente a um posto da Justiça Eleitoral para refazer o cadastro. Implantado em 2009 em Minas Gerais, o processo ocorre em etapas. Atualmente, está na sexta fase, que teve início em 5 de fevereiro deste ano e vai até 21 de fevereiro de 2020.

Montes Claros e Governador Valadares foram incluídas nesta etapa, mas boa parte dos eleitores ainda não compareceu à Justiça Eleitoral das duas cidades.
Em Governador Valadares, a quantidade de eleitores que mora nos Estados Unidos é o principal motivo para o risco do fim do segundo turno.

O presidente do Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE-MG), Rogério Medeiros, estima que de 20 mil a 30 mil pessoas trocaram a cidade do Leste de Minas pela terra do Tio Sam.

“Governador Valadares corre este risco. Eu usei muito este discurso na viagem que fiz no início desta semana ao município. Lá há 205 mil eleitores. Só nos Estados Unidos há quase 10% da população. Se este pessoal que reside na América não fizer a biometria, automaticamente a cidade vai passar a ter cerca de 180 mil eleitores. Perderá o direito ao segundo turno”, disse o magistrado.

Até o momento, aproximadamente 90 mil moradores de Valadares fizeram a biometria. O número corresponde a cerca de 40% dos eleitores. 
O desembargador também esteve em Montes Claros, onde o total de eleitores soma quase 267 mil homens e mulheres. O percentual daqueles que fizeram a biometria é de 52%.

Estatísticas
Em todo o Estado, segundo o último balanço do TRE-MG, 5.400.528 eleitores fizeram o recadastramento.
Apesar de Minas Gerais contar com 853 municípios, a biometria ainda não é obrigatória em 594 cidades, incluindo Belo Horizonte.