O PCdoB pode abrir mão da candidatura de Jô Moraes nas eleições municipais em favor de um projeto de esquerda mais forte, elaborado a partir de coligações com outros partidos. O apoio ao PT seria natural no cenário político atual. “Nós temos um programa social forte, de inclusão. E oferecemos a Jô Moraes como nossa única pré-candidata. Mas é possível (negociar com outras legendas)”, admite o presidente municipal do partido, Zito Vieira. “Estaremos juntos em 2016 em todo o território mineiro”, reforçou  o governador do Estado, Fernando Pimentel.

Ambas as afirmações foram feitas durante o Jantar da Democracia, realizado ontem, em comemoração ao aniversário do PCdoB. A festa acontece, tradicionalmente, próximo a 22 de março, data oficial da criação do partido. No entanto, em decorrência das turbulências políticas, ela foi adiada.

Cidades
Em Minas, o PCdoB tem pré-candidatos municipais em cinco cidades: Jô Moraes em Belo Horizonte, Carlin Moura em Contagem, Geraldo Pimental em Betim, Wadson Ribeiro em Juiz de Fora. O nome de Uberlândia ainda não foi definido.

“Encontramos, neste momento adverso, a necessidade de reafirmar um percurso contra o golpe. É na crise que o PCdoB se agiganta”, disse a presidente nacional do partido, a deputada federal Luciana Santos (PE).

Esquerda unida
Para o presidente do PCdoB estadual, Wadson Ribeiro, é preciso fortalecer a esquerda no Brasil. A pré-candadidata à prefeitura de Belo Horizonte, Jô Moraes, concorda. “Reforçar o campo democrático em Belo Horizonte e em Minas Gerais é fundamental. Dialogar mais com a sociedade é preciso”, disse.

Reginaldo Lopes, pré-candidato pelo PT, propõe um novo modelo de campanha política. “Uma forma horizontal. Nada de cabo eleitoral contratado, com comitê digital. Quero andar o dia inteiro, ouvir o eleitorado, estar perto do povo”, disse.

PTdoB
Também presente no evento, o pré-candidato à prefeitura pelo PTdoB, Luis Tibé, disse que já fechou apoio com três partidos e que segue com as negociações. “O PCdoB é um grande partido, temos muito interesse em um parceria”, adianta.

Outra personalidade que participou do jantar foi o pré-candidato pelo PSB, Paulo Brant. Ele ressaltou que tem conversado com diversos políticos na tentativa de fechar parcerias. Entre os partidos, ele citou PSDB, PPS, PTB e DEM. Todos com programas bem diferentes aos pautados pelo PCdoB.

“A relação do PSB com o PCdoB sempre foi muito boa. Além disso, é necessário acabar com a visão de que política é uma briga. Política é a arte de conviver. O Brasil está precisando de mais tolerância”, destacou.