O embate entre militares do governo de Jair Bolsonaro (PSL) e o guru do presidente, Olavo de Carvalho, é “página virada”. A afirmação foi feita pelo vice-presidente da República, Hamilton Mourão (PRTB), durante visita a Belo Horizonte nesta quinta-feira. “As questões do Brasil são mais importantes que essa discussão paroquial”, disse ele, que veio à capital para ministrar a palestra “Conjuntura e Perspectivas Político-Econômicas do Brasil” para empresários, no Centro Cultural Sesiminas.  

Nos últimos dias, as discussões entre militares e Olavo de Carvalho foram destaque na imprensa. Nas redes sociais, Carvalho fez duras críticas aos oficiais das forças armadas, incluindo o ex-comandante do Exército e atual assessor do Palácio do Planalto, Eduardo Villas Bôas.

Aos empresários, Mourão garantiu que o governo Bolsonaro fará o possível para tirar o Brasil da crise. 

“Vim a Minas atendendo a um convite da Fiemg e do governador Romeu Zema (Novo) para apresentar aquilo que é o cenário que estamos vivendo no país e como o governo do Bolsonaro vai superar todos os desafios. Vocês estão acompanhando o que está acontecendo: a nova previdência, a parte da segurança pública com o pacote do ministro Moro, as pequenas medidas que estão sendo tomadas pelo ministério da Economia buscando dar um ‘restart’ na vida econômica do país, que está patinando”, afirmou.

Ainda de acordo com ele, o governo tem por “dever e obrigação” concentrar todos os esforços para sair do que ele chama de “espiral descendente”, retornando a um caminho de crescimento sustentável “e não aquele voo de galinha”. 

Durante o pronunciamento à imprensa, o vice-presidente reafirmou a necessidade de aprovar a reforma da previdência, bandeira do governo federal. Segundo ele, as mudanças nas regras da aposentadoria são fundamentais para que os jovens consigam aposentar. 

“A nova previdência é uma grande responsabilidade de nós, mais velhos, para que a juventude do Brasil efetivamente tenha um futuro. Caso contrário, estaremos fugindo das nossas responsabilidades e deixando vocês tendo que trabalhar até o último dia que estiverem na Terra. E não é isso que desejamos a vocês”, disse.

O presidente da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg), Flávio Roscoe, elogiou a palestra realizada por Mourão. Para Roscoe, o governo Bolsonaro está “totalmente sintonizado com a classe empresarial mineira e, principalmente, industrial”. 

O governador Romeu Zema também fez afagos a Bolsonaro. “Ontem (08), eu tive a oportunidade de tomar café com o presidente da República, o presidente da Câmara e o presidente do Senado e isso demonstra que estamos bem alinhados com o governo federal. Sabemos da necessidade e da importância das reformas tanto aqui em Minas quanto no Brasil e temos trabalhado nesse sentido”, disse.