SÃO PAULO – A Bovespa encerrou o dia em alta de 4,01% aos 49.084,87 pontos em uma semana cheia de recordes. Em pontos, o Ibovespa alcançou o maior nível desde 9 de outubro do ano passado. Segundo operadores e analistas, a 24ª fase da Operação Lava Jato, cujo destaque foi a condução coercitiva do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, foi o propulsor do ímpeto comprador dessa sexta (4).
Uma boa parte da alta foi provocada por um ímpeto comprador dos estrangeiros, segundo os dados oficiais e estimativas de operadores.
O operador da mesa institucional da Renascença Corretora Luiz Roberto Monteiro e o economista da Leme Investimentos, João Pedro Brugger, avaliam que é impossível prever se o apetite por ações observado nesta semana irá perdurar na semana que vem. “É imprevisível o que vai acontecer daqui para a frente. De fato, o governo sai mais enfraquecido ainda, o que permite imaginar uma mudança no governo e na política”, afirma Brugger.

CÂMBIO
A nova etapa da Operação Lava Jato também abriu espaço para uma forte queda do dólar ante o real, a quinta consecutiva. A avaliação nas mesas era de que, com o cerco se fechando em torno de Lula, subiram as chances de a presidente Dilma Rousseff sair da Presidência, via impeachment. O dólar à vista cedeu 1,12%, aos R$ 3,7675, na menor cotação desde 9 de dezembro do ano passado. Em cinco dias, o dólar despencou 5,82%.