Vinte e nove pessoas já haviam sido flagradas cometendo alguma irregularidade eleitoral no Estado, cerca de duas horas antes do encerramento do horário de votação, previsto para as 17h. Do total dessas ocorrências – quase todas ligadas à prática de boca de urna –, informa o TRE-MG, 27 foram registradas em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, uma em Uberaba e outra em Governador Valadares.

Entre os flagrantes feitos em Contagem – onde Marília Campos (PT) e Felipe Saliba (DEM), disputam a prefeitura , um homem foi preso por exercício ilegal da advocacia, na porta da Escola Municipal Nossa Senhora Aparecida, no bairro Industrial, onde funciona uma zona eleitoral.

Aglomeração

Segundo informações da Polícia Militar, ao fazer o patrulhamento com enfoque em delitos nas imediações do local de votação, uma equipe da PM se deparou com uma aglomeração e, ao verificar do que se tratava, encontrou todos os participantes usando crachás de “fiscais da eleição”.

Ainda de acordo com a PM, um homem de 29 anos se identificou como coordenador do grupo, afirmando ser advogado. Os policiais, então, pediram que ele apresentasse a carteira da OAB.

O investigado teria alegado só possuir a carteira virtual. Ao procurarem o documento na internet, os PMs verificaram se tratar de um estagiário, não inscrito como advogado nos quadros da OAB.

Constata a infração do Artigo 47 do Código Penal, por exercício irregular da profissão, a PM deu voz de prisão ao homem e o encaminhou à Delegacia Adida do Juizado Especial Criminal, em Contagem.

A reportagem procurou a delegacia, para saber se o envolvido continuava detido, mas ainda não obteve resposta.

Leia mais:

Eleitores de quatro cidades mineiras vão às urnas neste domingo

Das 24 urnas eletrônicas substituídas em Minas, 19 eram usadas na votação em Contagem

Felipe Saliba vota em Contagem e avalia campanha como positiva

Marília Campos vota em Contagem acompanhada da família e de apoiadores