O Ministério da Educação ainda não comprou mais de 10,6 milhões de livros literários que foram escolhidos por professores de escolas públicas e que serão usados ao longo deste ano. A licitação para compra do material, realizado pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), foi feita no ano passado, e previa a aquisição de 58 milhões de obras. No entanto, parte dos contratos com as editoras não foi assinado.

Em nota, o MEC explicou que, devido à grande quantidade de editoras e obras participantes, não conseguiu finalizar toda a contratação em 2018. O ministério disse que "a autarquia já possui dirigentes nomeados necessários para o normal andamento dos contratos".

O edital colocou para escolha dos professores mais de 700 títulos para as turmas de educação infantil (creche e pré-escola), anos iniciais do fundamental (do 1º ao 5º ano) e ensino médio. Alunos do 4º e 5º anos do fundamental e do médio iriam receber dois títulos, um por semestre, e depois os devolveriam ao final do ano.

As escolas públicas do Brasil ficaram sem receber livros literários por quatro anos.

Leia mais:
ProUni tem 947 mil inscritos para 243 mil bolsas integrais e parciais em instituições particulares
Candidatos têm até esta terça-feira para participar da lista de espera do Sisu
Sisu: termina nesta segunda-feira prazo de matrícula em instituições de ensino