O espião israelense Jonathan Pollard foi libertado após cumprir pena de 30 anos em uma penitenciária nos EUA, anunciou nesta sexta-feita (20) o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu.

Em comunicado, Netanyahu disse que seu país saúda a libertação de Pollard, que foi detido em 1985, sob acusação de fazer espionagem para Israel, e condenado à prisão perpétua.

"Como alguém que levantou o caso de Jonathan por anos com sucessivos presidentes norte-americanos, eu há muito tempo esperava que esse dia chegaria", afirmou Netanyahu, acrescentando que Pollard já reencontrou sua família.

Os EUA acusam Pollard de ter transferido amplos volumes de documentos secretos de arquivos do governo para um intermediário israelense, ao longo de um período de 18 anos.

A liberdade de Pollard veio após uma comissão de indultos cancelar a condenação à prisão perpétua. Pelos termos da condicional, que pode durar cinco anos ou mais, Pollard deverá permanecer nos EUA e obter autorização prévia antes de viajar.

Advogados de Pollard recentemente solicitaram ao Departamento de Justiça dos EUA que permita que seu cliente renuncie à cidadania norte-americana e possa se juntar a sua esposa, que vive em Israel. Fonte: Dow Jones Newswires.