O governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, anunciou nessa segunda (22) que o Estado irá adotar um modelo de Parceria Público-Privada (PPP) para equipar e gerir os serviços de diagnóstico por imagem dentro dos hospitais da rede estadual. A implantação deve ocorrer no fim deste ano.

O modelo será semelhante ao aplicado no último ano pelo governador da Bahia, Rui Costa. Pimentel se reuniu nessa segunda (22) com ele e outros dois governadores petistas – Wellington Dias (Piauí) e Tião Viana (Acre) – no Palácio da Liberdade, em Belo Horizonte, para “trocar experiências administrativas vitoriosas”.

Segundo o governador de Minas, a ideia é passar para a iniciativa privada a responsabilidade dos setores de diagnóstico por imagem dentro dos hospitais e com isso agilizar a compra de equipamentos, sem a necessidade de licitação. “Esse serviço exige uma atualização tecnológica constante e permanente. Mas o setor público tem muita dificuldade com isso, porque é preciso licitar a compra desses equipamentos novos. Cada licitação demora de dois a três anos para se concretizar. Portanto, quando o equipamento chega, ele já está obsoleto. Então queremos passar a compra e a contratação de equipe para o setor privado, e o Estado vai remunerar o serviço prestado”, explicou.

Para Pimentel, o resultado será o aumento da produtividade e da agilidade no atendimento aos pacientes.

“A secretaria de Estado de Saúde ainda vai começar a estudar esse modelo já aplicado na Bahia, quem sabe conseguimos implantar em Minas Gerais no fim deste ano”, completou.

No encontro, os governadores conversaram também sobre as dificuldades financeiras enfrentadas pelos gestores nos estados. “Estamos nos movimentando para oferecer ao cidadão uma gestão adequada. Falta de recursos não pode ser um impeditivo, uma desculpa para não fazer aquilo que deve ser feito”, afirmou Pimentel.