O Estado Islâmico divulgou uma foto da bomba que segundo o grupo foi usada para derrubar um avião de passageiros russo no mês passado na Península do Sinai. Todas as 224 pessoas a bordo morreram na queda da aeronave.

A imagem mostrava uma lata amarela de Schweppes Gold e aparentemente outros componentes de uma bomba. Antes, o grupo extremista havia afirmado que derrubou o avião, sem dar detalhes.

O serviço de segurança russo disse na terça-feira que uma bomba derrubou o avião, que levava em sua maioria turistas russos. O Egito diz que ainda investiga a causa da queda.

Também nesta quarta-feira, o Estado Islâmico afirmou que matou um refém norueguês e outro chinês. Anteriormente, o grupo havia exigido resgates para soltar os dois.

O grupo publicou as imagens dos homens em uma página de sua revista em língua inglesa, dizendo que a dupla foi "executada após ser abandonada por suas nações e organizações kafir [infiéis]". Nas imagens, os dois homens parecem ter sido mortos a tiros.

O governo da China ainda não se pronunciou, enquanto um porta-voz do Ministério das Relações Exteriores norueguês disse que ainda não havia confirmação do fato.

O Estado Islâmico havia identificado os homens como o norueguês Ole Johan Grimsgaard-Ofstad, de 48 anos, de Oslo, e o chinês Fan Jinghui, de 50 anos, este um consultor de Pequim. Não foi informado como a dupla foi capturada. Fonte: Associated Press.