Estudantes em protesto contra a política educacional do governo Geraldo Alckmin (PSDB) ocuparam no início da noite desta segunda-feira (21), a Avenida Paulista no sentido Consolação. Desde as 16h30 os manifestantes se concentravam sob o vão livre do Masp, onde começou o bloqueio.

Os manifestantes prometem percorrer ruas da cidade. Eles devem passar pela Secretaria de Segurança Publica do Estado e acabar o ato na Praça da Sé. Choveu durante toda a tarde na região da Paulista e o ato está esvaziado comparado com outras datas. A Polícia Militar não informou estimativa de participação.

Os estudantes são contra a reorganização da rede escolar anunciada pela gestão e já revogada. Mais de 190 escolas foram ocupadas, mas hoje a secretaria de Educação afirma que há 28 ocupações. Após o recuo do governo e a suspensão do projeto para 2016, escolas foram desocupadas mas o movimento não foi interrompido.

A ideia era fechar 93 escolas no ano que vem e transformar 754 prédios em unidades de ciclos únicos. O governo argumenta que esse tipo de escolas têm melhor desempenho no Idesp. Sobre o fechamento das unidades, a gestão defende que houve queda no número de alunos.

A polícia não tem estimativa de participantes. Às 18h50, o grupo ocupava toda a via da Paulista no sentido Consolação.

O movimento não chegou a um consenso sobre a total desocupação das unidades. Segundo um dos estudantes, o ato desta segunda tem o objetivo de mostrar que a mobilização continua. "Mesmo com a desocupação das escolas, queremos que não se perca essa mobilização histórica dos secundaristas", diz o estudante, que participa da ocupação na Escola Estadual Fernão Dias, em Pinheiros. "Vamos fazer um encontro estadual em janeiro".