O governo dos Estados Unidos defendeu nesta segunda-feira uma recontagem dos votos depositados durante as eleições presidenciais realizadas ontem na Venezuela. Na avaliação da Casa Branca, uma recontagem é "importante, prudente e necessária".

De acordo com o Conselho Nacional Eleitoral (CNE) da Venezuela, o presidente interino Nicolás Maduro venceu o opositor Henrique Capriles por cerca de 235 mil votos, ou 1,59 pontos porcentuais.

Capriles condicionou o reconhecimento de sua derrota nas urnas a uma recontagem dos votos e o próprio Maduro disse não ver problemas se isso for feito.

O secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), José Miguel Insulza, também se declarou a favor da recontagem dos votos e colocou a equipe técnica da entidade à disposição do governo venezuelano. As informações são da Associated Press.