O governo de Barack Obama, presidente dos Estados Unidos, impôs restrições financeiras para 34 pessoas por ajudarem empresas da Rússia e da Ucrânia a driblar sanções impostas pelos EUA.

O Departamento do Tesouro afirmou que a ação ajuda a "manter a eficácia das sanções existentes", criadas após a Rússia ter anexado a Crimeia no ano passado e por apoiar os rebeldes separatistas do leste da Ucrânia.

Entre essas pessoas, 14 estão ligadas a "evasões sérias". O Departamento do Tesouro acusou seis separatistas e duas ex-autoridades do governo ucraniano de "cúmplices" de corrupção ou por desestabilizar a Ucrânia.

Cidadãos norte-americanos não podem fazer negócios com as pessoas listadas e todos os ativos dos EUA que eles tinham foram congelados. John Smith, diretor do Departamento de sanções, declarou que a Rússia deve aderir ao cessar-fogo em fevereiro.