Médicos americanos realizaram o primeiro transplante de fígado no mundo entre um doador com hiv e um paciente também hiv positivo, três anos após este tipo de operação ser autorizado nos Estados Unidos. O fígado de um doador falecido foi transplantado para um paciente que contraiu mais de 20 anos atrás o vírus causador da aids, segundo informação dos médicos da Johns Hopkins University, nos Estados Unidos.

 Um rim do mesmo doador foi transplantado para outro paciente. "Algumas semanas atrás, foi realizado o primeiro transplante de fígado hiv-hiv no mundo, e o primeiro transplante de rim hiv-hiv nos Estados Unidos", disse em uma entrevista coletiva Dorry Segev, professor de cirurgia na Faculdade de Medicina Johns Hopkins.

"Este é um dia muito emocionante para nós", afirmou Segev, "mas esse é só o começo", acrescentou. Tais operações envolvem riscos "únicos", como o doente receptor está exposta a uma segunda estirpe do vírus hiv, disse Christine Durand, professor assistente de medicina e oncologia na Johns Hopkins University.

Ambos pacientes receptores se recuperaram sem problemas das operações, informou a equipe médica.  Até 2013, era proibido usar órgãos de um doador portador de hiv para transplantes nos Estados Unidos e a escassez de órgãos no país faz com que muitos pacientes morram à espera de uma cirurgia.  A utilização de órgãos de pessoas vivendo com hiv poderia salvar cerca de 1000 vidas por ano, explicou Segev.