O ex-governador de Minas Gerais Eduardo Azeredo se desfiliou do Partido da Social Democracia Brasileira de Minas Gerais (PSDB-MG). A informação do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MG) é a filiação foi cancelada após o recebimento de um documento com essa solicitação, feita pelo político, no dia 8 deste mês.

Cumprindo pena há um ano numa cela na unidade Funcionários do Corpo de Bombeiros, em Belo Horizonte, o ex-governador era filiado ao partido desde 1988. Ele foi condenado a 20 anos e um mês de prisão pelos crimes de peculato e lavagem de dinheiro dentro do processo conhecido como Mensalão Tucano.

Azeredo foi acusado de ser um dos principais articuladores de esquema que desviava recursos do Banco do Estado de Minas Gerais e a Companhia de Saneamento de Minas Gerais em benefício de sua campanha de reeleição, em 1998 – disputa em que perdeu para Itamar Franco. O esquema teria utilizado agências de publicidade de Marcos Valério para a movimentação dos recursos, de acordo com a denúncia do Ministério Público.

Em nota, o PSDB declarou que foi comunicado da desfiliação pelos familiares de Azeredo. "As razões que motivaram sua decisão, por serem de caráter pessoal e de foro íntimo, não serão objeto de comentários deste Diretório". A reportagem não conseguiu contato com a defesa do ex-governador para comentar o assunto.