Terminou por volta das 22h deste sábado (2) o depoimento do ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro, na Polícia Federal, em Curitiba. O interrogatório, que durou mais de 8 horas, foi determinado pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Celso de Mello, que conduz a investigação. O objetivo é apurar as acusações feitas após a saída do governo Bolsonaro.

Moro chegou ao local por volta das 13h15, mas entrou pelos fundos. A sede da PF virou palco de protestos. Houve grupos a favor do ex-ministro, e outros do lado de Jair Bolsonaro. As informações são do jornal Folha de S. Paulo.

Entenda
Celso de Mello antecipou a ida de Moro à PF após analisar pedido de parlamentares de partidos da oposição. Inicialmente, o prazo dado pelo ministro era de 60 dias. A oitiva será a primeira medida tomada no inquérito aberto a pedido do procurador-geral da República, Augusto Aras, para apurar suposta tentativa de interferência na PF ou crime de denunciação caluniosa.

Relembre
Em sua conta no Twitter, no sábado (2), o presidente Jair Bolsonaro classificou Sergio Moro de “Judas” e relembrou o episódio em que foi esfaqueado durante a campanha eleitoral de 2018. O ex-ministro Sergio Moro pediu demissão do cargo após quase 16 meses à frente da pasta. Ao anunciar sua decisão, ele acusou o governo de interferir politicamente na Polícia Federal.