Os ex-ministros da Saúde Luiz Henrique Mandetta e Nelson Teich vão abrir a fase de depoimentos na CPI da Pandemia do Senado, nesta terça-feira (4). Ambos serão ouvidos na condição de testemunha, quando há o compromisso de dizer a verdade sob o risco de incorrer no crime de falso testemunho.

Conforme a agenda, o depoimento de Mandetta está previsto para as 10h, e o de Teich, para as 14h. Os depoentes deixaram o cargo após divergências com o presidente Jair Bolsonaro com relação às políticas de contenção do coronavírus.

Primeiro titular da Saúde do governo, Mandetta esteve à frente da pasta entre janeiro de 2019 e abril de 2020. Já Teich, seu sucessor, comandou o Ministério da Saúde por menos de um mês, entre 17 de abril e 15 de maio do ano passado. 

Os ex-ministros devem ser questionados sobre a recomendação de cloroquina aos pacientes infectados com a Covid-19.

Queiroga e Pazuello

O Senado aprovou também as convocações do atual ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, e a do antecessor dele, Eduardo Pazuello.

A previsão é de que sejam ouvidos ainda nesta semana, assim como o diretor-presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Antonio Barra Torres.

Histórico

A CPI da Pandemia foi instalada na terça-feira (27) no Senado e investigará “ações e omissões” do governo durante a pandemia da covid-19. Os repasses feitos pela União a estados e municípios também estão na mira do colegiado.

Leia também:
Lewandowski nega pedido para retirar Renan da relatoria da CPI
CPI: senadores questionam Renan e aprovam 310 pedidos de informação
CPI aprova semana de depoimentos de ex-ministros e atual da Saúde