Campos

Maurício Campos comandou a capital mineira entre 1979 e 1982

O ex-prefeito de Belo Horizonte, Maurício Campos, morreu neste domingo (22), aos 86 anos, em Belo Horizonte. Ele respondeu pela capital entre os anos de 1979 e 1982, pelo extinto Arena/PDS, após nomeação pelo então governador Francelino Pereira - na época, capitais e cidades em áreas de segurança nacional contavam com os chamados 'prefeitos biônicos', cujos nomes não eram escolhidos por meio de votação.

Um das obras mais importantes dele foi a inauguração do Parque das Mangabeiras, um dos principais pontos-turísticos da cidade. Também deu início às obras de canalização do Ribeirão Arrudas na região da Avenida do Contorno, onde se concentravam as enchentes no fim da década de 1970.

Maurício Campos era formado em engenharia mecânica e elétrica e teve longa carreira política. Exerceu cinco mandatos como deputado federal na Câmara Federal, e foi um dos deputados da Constituinte em 1987, responsável pela elaboração da Constituição vigente, promulgada em 1988.

Por causa da pandemia de coronavírus, a família ainda não informou onde o corpo será velado e sepultado. 

O político deixa a mulher, três filhos e três netas.

A informação foi confirmada pelo senador Antônio Anasasia, em uma rede social.