O ex-vereador de Americana (SP) Alexandre Romano (PT), preso em agosto na operação "Lava Jato", passou a cumprir prisão domiciliar neste sábado (17). A decisão foi proferida pela Justiça Federal em São Paulo. As justificativas não foram divulgadas porque a decisão foi tomada sob segredo de Justiça. Romano estava preso em Curitiba e foi libertado após receber uma torzeleira eletrônica.

A prisão do ex-vereador foi determinada pelo juiz federal Sérgio Moro, responsável pelos processos da "Lava Jato" na primeira instância da Justiça. No entanto, o caso de Romano foi enviado à Jsutiça de São Paulo, por determinação do Supremo Tribunal Federal (STF).

No mês passado, a Corte decidiu retirar o processo de Moro, por tratar de fatos ocorridos em São Paulo.

A prisão do ex-vereador fez parte da 18ª fase da operação "Lava Jato", batizada de Pixuleco II. Romano foi apontado como operador de empresas de fachada que simulavam a prestação de serviços que movimentaram valores que superam R$ 50 milhões, a partir de contratos de crédito consignado junto ao Ministério do Planejamento.