Para as famílias que ficarem ou vierem visitar a capital nesta última quinzena de janeiro, uma boa dica é conhecer o Museu dos Brinquedos, um lugar onde os pequenos ficam à vontade e os adultos voltam a ser crianças.

Com mais de 5 mil brinquedos, o Museu tem um acervo que abrange diversas épocas e gerações.

Tem os brinquedos dos nossos avós, uma época pré-digital, como bonecas, bolinha de gude, peão, entre outros.

Tem também os brinquedos da geração que cresceu nos anos 70 e 80, como os primeiros videogames e os jogos de tabuleiro.

O espaço é dividido em quatro salas dedicadas aos brinquedos, todas localizadas no primeiro piso da casa. Uma delas conta a história de sua idealizadora, Luiza Meyer, e a outra abriga a mostra temporária, tendo atualmente a temática Gambio Game – História e Desafios dos Jogos Eletrônicos. No segundo piso, há uma Legoteca e uma salinha de leitura com diversas obras da literatura infanto-juvenil. Do lado de fora, um pátio é dedicado às oficinas, ao brincar e às apresentações culturais.

Durante o mês de janeiro, o Museu dos Brinquedos terá programação especial diária para crianças e adolescentes.

A história do Museu começou quando Luiza Meyer, então com 3 anos, começou a colecionar brinquedos. O hábito passou para os filhos e netos. Ela sempre sonhou em ter um lugar especial para guardar e apresentar o seu acervo.