A Ferrari só passou a fabricar carros de passeio para custear sua única razão de existir: as corridas. O comendador Enzo só tinha olhos para as pistas. Tanto é que reza a lenda que ele teria destratado um temperamental fabricante de tratores, chamado Ferruccio Lamborghini, quando este foi até Maranello se queixar da transmissão de sua Ferrari. Após a troca de farpas, Ferruccio disse que fabricaria seu carro e a história a partir daí todo mundo conhece.

Mas fato é que as corridas são a essência da marca do Cavallino Rampante. E sempre que pode, ela presta homenagem à sua história vitoriosa. Assim, a Ferrari acaba de apresentar a Daytona SP3, com preço de 2 milhões de euros, algo em torno de R$ 13 milhões. Isso, lá na Europa. Se chegar por aqui, pode passar dos R$ 25 milhões.

Trata-se de um bólido com produção limitada que chega para prestar homenagem aos protótipos 330 P3/4 e 330 P/4. O nome se deve às três primeiras posições nas 24 Horas de Daytona de 1967.

Construído com compostos utilizados nos monopostos da Fórmula 1, assim como a LaFerrari, a Daytona SP3 é um carro de corridas de luxo. Seu desenho remete às linhas da 330, com para-brisa em bolha e a traseira extremamente larga e com elevação que forma uma espécie de aerofólio integrado, como eram nos protótipos da época.

O modelo faz parte da linha Icona, que estreou com as exclusivas Monza SP1 e Monza SP2. Da mesma forma que as “gêmeas”, a Daytona SP3 terá tiragem limitada. O volume é de 599 unidades, seguindo o costume do velho Enzo de sempre subtrair uma unidade.

V12

O supercarro italiano será equipado com V12 6.5, de aspiração natural, de 840 cv e 69 kgfm de torque. Como toda Ferrari que se preze, o pico de potência surge a absurdos 9.250 rpm, quase colado no limite de 9.500 giros. Na prática isso significa uma sinfonia ensurdecedora.

O V12 é combinado com uma transmissão de dupla embreagem e sete marchas. A tração é traseira, como em toda Ferrari, com excesso da FF (GT4 Lusso). Tudo isso dá à Daytona SP3 aceleração de 0 a 100 km/h em 2,8 segundos e máxima de 340 km/h.

Com apenas 1.14 m de altura e 2.05 m de largura, esse bólido foi feito para agarrar ao asfalto. Seu comprimento total é de 4.68 m e a distância entre-eixos de 2,65 m, sendo que boa parte desse espaço é reservado para o V12. A distribuição de peso beira perfeição com 66% da massa sobre o eixo traseiro e 44% sobre o eixo dianteiro. 

Essa Ferrari ainda conta com rodas aro 20 na dianteira e aro 21 na traseira. Os freios são de 398 mm nas rodas da frente e 380 mm nas posteriores. Quem viu a apresentação da Daytona SP3 no circuito de Mugello pode ver do que essa obra-prima de R$ 13 milhões é capaz.