Era para ser hoje (7) o lançamento da segunda geração da picape Strada, mas devido à pandemia do coronavírus Covid-19 sua entrada triunfal ainda não tem data definida. Mas sejamos francos, depois de 22 anos de espera, o que são mais algumas semanas?

 

Fato é que a Strada está pronta, mas a fábrica de Betim está parada por conta da pandemia, o que tornaria impossível a distribuição do utilitário. No entanto, mesmo sem o carro vamos à nova Strada.

A picape foi construída sobre a nova plataforma MPP e conta com 25% de componentes emprestados de outros modelos. Suas medidas não diferem tanto da Strada original. São 4,48 metros de comprimento, outros 2,73 metros de distância entre-eixos, 1,73 m de largura e 1,57 m de altura.

Visualmente ela é uma mini Toro com elementos retangulares presentes no Mobi. Aliás parte dos 25% de peças herdadas vieram do pequenino, principalmente por dentro. O leitor pode até achar que se trata de uma decisão errática, uma vez que deveria seguir o padrão de Argo e Cronos. Mas a Strada é um utilitário. Apesar de mais vistosa, amigável e refinada, ainda é um veículo projetado para carregar carga.

Assim podemos ver forros de porta, painel, quadro de instrumentos seguindo a linha de Mobi e Uno. Em outras palavras, mergulhados em plástico. Mas isso não significa que a Strada não tenham seus trunfos. A picape estreia um novo sistema multimídia de sete polegadas que oferece conexão Apple CarPlay e Android Auto sem a necessidade de cabo.

Ou seja, funciona como as antigas conexões Bluetooth, mas com todas as aplicações disponíveis nos sistemas Google e Apple. Acima do multimídia ficam posicionadas as chaves auxiliares. Funções como faróis de neblina, iluminação da caçamba, pisca alerta, assim como  desligamento do controle e estabilidade (que é item de série em todas as versões, assim como o controle de tração) e do sensor de proximidade.

A caçamba
Tudo isso é muito bonito, mas é preciso lembrar que mais de 50% dos compradores da Strada pouco importam com seu interior. Eles querem saber com ficou a caçamba e a suspensão. O compartimento de carga da Strada cabine dupla (a cabine simples ainda não está pronta) comporta 844 litros, quase 200 a mais que a geração passada, devido a maior largura e também pelo deslocamento do estepe para debaixo do assoalho.

A capacidade de carga segue em 650 quilos. A cabine simples permitira 770 quilos de carga. E para dar conta de tanto peso, a suspensão mantém o feixe de molas na traseira, que seu maior argumento de vendas. O eixo ganhou novo desenho e é fabricado com aço de alta resistência. Na frente, o trivial McPherson, mas com travessas redesenhadas.

Quatro portas
Da mesma forma que há um perfil de consumidor que só olha para a caçamba. Há muitos que estão de olho no acessos. A Strada finalmente passa a contar com quatro portas e deixa para o passado aquela gambiarra de terceira porta suicida, que exigiu um reforço estrutural de carro forte para compensar a remoção da coluna central. Além disso, a picape leva cinco ocupantes, que entram e saem com dignidade, como na inexpressiva rival Renault Duster Oroch.

Motor
Como é sabido a Strada terá dois motores. As versões de entrada serão equipadas com unidade Fire EVO 1.4 de 88 cv e as opções mais sofisticadas contaram com o moderno Firefly 1.3 de 109 cv. A princípio, ela vira com caixa manual de cinco marchas, mas certamente receberá a novíssima transmissão CVT que promete aposentar as transmissões AT6 e a famigerada GSR.

Versões
Apesar de a Fiat só exibir a versão topo de linha, Volcano, a Strada ainda terá outras três versões: Working, Endurance e Freedom. Todas com cabine dupla, que foram reveladas no período de patentes do Instituto Nacional de Propriedade Industrial (Inpi).

A topo de linha contará com pacote farto, com direito a rodas aro 16, faróis com luz diurna e LED, santo-antônio e molduras laterais. Um banho e loja que coloca ela na condição de carro de passeio compacto com caçamba.

Preços
Cravar preços da nova Strada seria uma grande leviandade. Afinal, há três semanas vivíamos em outro planeta, bem diferente do que temos hoje. Atualmente a Strada parte dos R$ 55 mil, na versão cabine simples, que certamente seguirá em linha até a nova ficar pronta.

Por outro lado, as opções com cabine dupla partem de R$ 74 mil e vão até R$ 83,7 mil, na topo de linha Adventure. Assim, para as versões existentes da atual geração temos um posicionamento entre R$ 75 mil e R$ 95 mil, faixa onde a Toro inicia. Mas são apenas hipóteses, uma vez que vivemos num período em que é impossível cravar nada.