Depois de seis anos de mercado, a Fiat Toro passa pela primeira plástica. Por fora, as mudanças não chegam a surpreender, mas é debaixo do capô que o carro evoluiu de forma significativa, com a chegada do novo motor 1.3 turbo de 185 cv e 27 kgfm de torque.

 

Trata-se do mesmo propulsor que foi apresentado no novo Jeep Compass, o T270. A nomenclatura da unidade passa a figurar também na carroceria da picape, assim como a TD350 para as opções a diesel

E da mesma forma que no Compass, o novo motor promete resolver o abismo de desempenho de sua antiga unidade flex aspirada. No caso da Toro, o buraco era ainda mais fundo, pois o E-Torq 1.8 de 139 cv era bem inferior ao 2.0 aspirado de 166 cv do Compass.

Compacto, esse motor se apresenta apinhado de refinamentos que eram ficção no velho E-Torq. Ele conta com acionamento de válvulas por corrente, bloco em alumínio, resfriamento de lubrificante, injeção direta de combustível, termostato elétrico (que é mais eficiente que a velha cebolinha), dentre outros apetrechos técnicos. A transmissão segue a mesma unidade automática de seis marchas, que já equipava as versões com motor 1.8. 

O novo motor pode deixar o frotista, produtor rural e empreendedor com a pulga atrás da orelha. Afinal, trata-se de um carro mais sofisticado e que pode elevar o custo operacional. No entanto, o motor 1.8 segue em linha apenas para a versão Endurance, na base da linha.

Interior

Se o motor impressiona, por dentro a Toro também passou por uma banho de loja, com destaque para o quadro de instrumentos digital de sete polegadas. Com nove versões, o pacote mais sofisticado conta com assistente de condução (com frenagem autônoma de emergência), assim como novo multimídia de 10,1 polegadas (montado na vertical, como nos modelos Ram). 

Na prática, a Fiat dividiu o monitor em duas partes, sendo que uma fica por contra dos comandos de refrigeração e a outra para funções de navegação. A nova tela conta, conexão 4G (TIM com planos de 5GB a 40GB), roteador Wi-Fi e assistente pessoal Alexa, assim como chamada de emergência, assistente de recuperação por furto ou roubo, alerta de furto e alerta de condução. A central ainda oferece navegação com informações de tráfego e atualização automática. 

A picape ainda oferece conexão sem fio para smartphones, carregador por indução magnética, sensores e câmera de ré. 

Visual

As mudanças visuais da Toro foram bem sutis e se concentraram na grade, para-choque, capô e faróis. O redesenho chega para atenuar os seis anos de mercado da picape e também para atualizar a identidade visual da marca que conta com a nova logo e a bandeirinha Fiat Flag, na grade.

Nas versões Ultra e Ranch, a picape recebeu grade exclusiva, que a aproxima das primas norte-americanas. Na Ultra, a grade é fosca, enquanto na Ranch, a peça é cromada.

Depois de seis anos, a Toro se atualiza para continuar sendo referência no segmento de picapes. Ela conseguiu se encaixar entre as leves e as médias. Sua rival mais próxima é a inexpressiva Renault Duster Oroch. Marcas como a Volkswagen já apresentaram estudos de uma concorrente para o utilitário fabricado em Pernambuco, mas até agora nada de concreto. 

O mais próximo que se viu foi a Hyundai Santa Cruz, mas trata-se de um projeto para o mercado norte-americano. Pelo visto, nesse pasto só tem espaço para um boi.

PREÇOS E VERSÕES

  • Endurance 1.8 AT6 - R$ 114.590
  • Endurance 1.3 AT6 - R$ 119.590
  • Endurance 2.0 AT9 - R$ 152.990
  • Freedom 1.3 AT6 - R$ 131.890
  • Freedom 2.0 AT9 - R$ 164.390
  • Volcano 1.3 AT6 - R$ 144.990
  • Volcano 2.0 AT9 - R$ 177.690
  • Ranch 2.0 AT9 - R$ 185.490
  • Ultra 2.0 AT9 - R$ 187.490