Todo ano é a mesma novela: tanto a Konami quanto a Electronic Arts atravessam uma verdadeira via sacra para incorporar os times da Série A do Campeonato Brasileiro aos games das séries “FIFA” e “Pro Evolution Soccer”. Eles chegam ao mercado na próxima semana, com desfalques de clubes e jogadores.
 
Para as edições 2016, quem levou a melhor foi o estúdio japonês, que conseguiu não apenas todos os clubes, mas um contrato de exclusividade com Flamengo e Corinthians, além de quatro clubes que disputam a segundona (Botafogo, Bahia, Criciúma e Vitória).
 
Já a Electronic Arts conseguiu incluir apenas 16 times da Série A: Atlético, Atlético Paranaense, Avaí, Chapecoense, Coritiba, Cruzeiro, Figueirense, Fluminense, Grêmio, Internacional, Joinville, Palmeiras, Ponte Preta, Santos, São Paulo e Vasco.
 
Banco Vazio
 
Para piorar a situação de “FIFA 16”, nem todos os atletas dos clubes confirmados apareceram no game, o que obrigou a EA a apelar para jogadores genéricos. Mas em “PES 2016” são pelo menos 400 jogadores confirmados. Ou seja: nem todos os times estarão completos, mas boa parte dos jogadores titulares estarão em campo. 1 a 0 para Konami!