O empresário Ivo Nascimento de Campos Pitanguy, de 59 anos, preso desde a noite da última quinta-feira (20) após atropelar e matar um operário na Gávea (zona sul do Rio), deixou o complexo penitenciário de Gericinó, na zona oeste do Rio, na tarde desta quinta-feira, 27.

O filho do cirurgião plástico Ivo Pitanguy foi beneficiado por liberdade provisória concedida pela juíza Renata Gil de Alcântara Videira, da 40ª Vara Criminal do Rio, após pagamento de fiança de R$ 100 mil.

Ao sair da cadeia, o empresário não falou com a imprensa. Indiciado por homicídio culposo (sem intenção), ele está obrigado a usar tornozeleira eletrônica para monitoramento e a comparecer mensalmente ao Juízo para informar suas atividades, além de ter a carteira de habilitação suspensa e estar proibido de frequentar bares, boates e outros estabelecimentos que vendam bebida alcoólica, de sair do Rio e de sair de casa à noite e nos dias de folga.

Pitanguy foi indiciado por homicídio doloso (intencional) pela delegada Monique Vidal, da 14ª DP (Leblon), porque ele aparentava estar embriagado no momento do acidente, segundo testemunhas e policiais que atenderam a ocorrência. Mas o Ministério Público não aceitou a tipificação e o denunciou pelo crime culposo.