Se hoje a F-150 Raptor é a expressão máxima em termos de esportividade na gama de picapes da Ford, num passado recente quem fazia sucesso era a F-150 Lightning, versão esportiva que ficou eternizada no longa-metragem “Velozes & Furiosos” (2002). Depois disso a picape chegou a ganhar conceitos, mas saiu do mercado. Agora, a Lightning volta à cena fazendo jus ao nome.

A Ford acaba de apresentar a versão elétrica de seu produto mais popular. A F-150 Lightning surge com pegada futurista combinada com a estrutura convencional da picape, que utiliza carroceria sobre chassi. A grande novidade é que por não contar com um imenso motor sob o capô, a Ford aproveitou o espaço para convertê-lo num generoso porta-malas.

Comparada com as demais versões da F-Series, a Lightning se destaca pela assinatura em LED que percorre toda a parte frontal. Ela também parece ter altura mais baixa, mas a verdade é que as caixas de ar são mais largas para comportar o berço das baterias.

A picape conta com dois motores, montados sobre cada eixo, que somados despejam 573 cv no asfalto e 105 kgfm de torque. Números que fazem a Raptor se tornar um calango. A Ford oferecerá duas opções de baterias, a primeira com 370 quilômetros de autonomia e uma mais sofisticada, capaz de rodar até 480 quilômetros com uma carga.

No Break gigante

As baterias da picape, inclusive, podem servir para iluminar uma casa. Contam com o sistema Intelligent Backup Power, que destina até 9,6 kWh para manter iluminação e eletrodomésticos em caso de queda de energia. Num acampamento, podem servir de gerador na viagem

A picape suporta até 900 quilos de carga. E para manter o motorista a par de quanto está carregando na caçamba, a picape conta com sensores que indicam o peso sobre as rodas. 

Mas não é só isso: a Lightning conta com assistentes de condução como o sistema BlueCruise, que tem mais de 160 mil quilômetros de rodovias norte-americanas e canadenses mapeadas. Basicamente, o carro conhece o caminho e esterça sem auxílio do motorista.

Por dentro

Por dentro, o destaque é a central multimídia de 15,5 polegadas, montada em posição vertical. Esse imenso tablet grudado ao painel gerencia praticamente tudo no carro, além de contar com sistema Sync 4 e os triviais Apple CarPlay e Android Auto.

“Não estamos aqui para fazer uma picape elétrica para poucos. A Ford está empenhada em construir um que resolva problemas reais para pessoas reais. A F-150 Lightning oferece tudo o que dissemos que os veículos elétricos podem oferecer, além da capacidade esperada de uma picape Ford, não apenas torque quase instantâneo, mas poderosas operações de reboque e transporte em que os clientes podem confiar”, aponta o presidente da Ford Américas e do Grupo de Mercados Internacionais da Ford Motor Company, Kumar Galhotra.

De fato, Galhotra não está para galhofas. A picape chega ao mercado norte-americano partindo de US$ 40 mil (R$ 212 mil). Trata-se de um valor factível no mundo dos automóveis eletrificados, inclusive mais barato que valores praticados nas versões mais refinadas da Ranger, por aqui. Afinal, na terra do Tio Sam nada vende melhor que uma F-Series.