Ele já foi dado como morto inúmeras vezes, mas fato é que o Fox segue mais vivo do que nunca e acaba de chegar à linha 2021. O hatch que nasceu em 2003 para substituir o Gol (e nunca conseguiu) passou por um banho de loja para se adequar às exigências de legislação. 

A partir de agora o modelo conta cintos de segurança de três pontos e encosto de cabeça para todos os bancos, assim como ganchos de amarração de cadeirinhas do tipo Isofix e Top Tether.

 

O compacto manteve sua linha com apenas duas versões: Connect e Xtreme, nomenclaturas que não existem nos demais modelos da marca. Ambas são equipadas com motor MSI 1.6 de 104 cv e caixa manual de cinco marchas. Unidade que também está presente no Gol, Voyage, Polo e Virtus.

O pacote de conteúdo da versão de entrada ainda inclui direção assistida, ar-condicionado, multimídia Composition Touch (com tela de 6,5 polegadas, Android Auto e Apple CarPlay), vidros elétricos nas quatro portas, assim como rodas de liga leve (aro 15). Tudo isso oferecido por R$ 54.060. 

Já a Xtreme figura como uma sucessora mais comportada do CrossFox. A versão com estilo aventureiro conta com molduras nos para-lamas, rodas aro 16, rack de teto e para-choque com desenho exclusivo. Seu preço é de R$ 59.630.

Assim o Fox segue vivo, graças à sua boa clientela que ainda não deixou que a VW soltasse a corda que segura a guilhotina. Em 2019,eleemplacou38,5mil unidades, fechando o ano como o quinto carro mais vendidonagamadamarca alemã. Este ano, mesmo com a pandemia, foram 8.321 licenciamentos, segundo a Fenabrave.

Uma curiosidade, o Fox passa a ser uma das carrocerias mais antigas do mercado, ao lado do Fiat Doblò já que a Strada ganhou nova geração.