Marcas que atuam apenas com importação geralmente não contam com a mesma estrutura de uma fabricante instalada. As frotas de testes são bem enxutas, e algumas nem contam com esse recurso. A Volvo, apesar de montar caminhões por aqui, apenas importa os sofisticados carros suecos. Assim, a frota é pequena. Mas nem por isso ela deixou de colocar quase 300 automóveis à disposição de autoridades sanitárias, hospitais e entidades sociais no combate à Covid-19. 

Para ser mais exato, foram 270 carros, de todos os setores da marca, como imprensa, marketing, frota interna. Ou seja, todo carro que pertencia à empresa foi empenhado na ação, que deveria ser de 30 dias e estendeu para 90. Os carros foram cedidos para a Cruz Vermelha Brasileira, Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, Central Única das Favelas (Cufa), Instituto Dharma, Por Nossa Conta, Mercadão das Flores, DeFEMDe, Rede Rua. Casa Chama, Acreditar e UneAfro. Ao todo, os carros percorreram 680 mil quilômetros por 4 mil cidades em todo país. 

“Nosso principal objetivo desde o início foi ajudá-los a atender a múltiplas frentes de atuação no combate desta pandemia e tornar o trabalho dos seus profissionais e voluntários mais ágil e seguro. Foram diversas as áreas de atuação, como na Santa Casa, onde os carros ficaram à disposição dos profissionais de saúde para se deslocar entre suas residências e o hospital. Ou no Ahpas que fez o transporte de crianças que estão em tratamento para o câncer, já que as famílias estavam encontrando dificuldades com o transporte público e elas se enquadram num grupo de maior risco”, comenta o diretor geral de operações e inovação da Volvo Car Brasil, João Oliveira.

A quilometragem que corresponde a 17 voltas ao redor da Terra se traduz na distribuição de cerca de 160 toneladas de alimentos, 30 mil litros de água, mais de 40 mil refeições, além do transporte de pacientes e profissionais de saúde. Como boa parte da gama é composta por modelos híbridos, a marca explica que instalou 14 carregadores, para aproveitar ao máximo o uso dos motores elétricos e reduzir consumo de gasolina. Parece até a Suécia.