Os trabalhadores da fábrica da Mercedes-Benz em Juiz de Fora, na Zona da Mata, fizeram uma paralisação de um dia, nesta segunda-feira (15), para acompanharem a audiência pública que discutiu a possível saída da fábrica da multinacional da cidade. A reunião, realizada na Câmara do município, foi organizada pela Comissão do Trabalho, da Previdência e da Assistência Social da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG). 

A fábrica da cidade mineira completa 20 anos de existência nesse mês, sendo que ela foi a primeira unidade da Mercedes-Benz fora da Alemanha. De acordo com os deputados estaduais Celinho Sintrocel (PCdoB), que é presidente da comissão, Betão (PT) e Coronel Henrique (PSL) existe a possibilidade da empresa mudar suas atividades para São Paulo ou Espírito Santo. 

A multinacional estaria estudando levar para o porto de Vitória (ES) o desembaraço da van Sprinter, que vem da Argentina e é nacionalizada na unidade mineira. Além disso, a direção da empresa também avalia a mudança da montagem do caminhão Actros para São Bernardo do Campo (SP), informações que têm gerado muita apreensão entre a população de Juiz de Fora.  

“Uma decisão desse porte pode multiplicar o desemprego, pois a unidade hoje emprega cerca de 1,5 mil trabalhadores. Pode ainda reduzir drasticamente a atividade econômica no Estado, que já vem sofrendo com os problemas na mineração, e comprometer ainda mais a arrecadação estadual e também de cidades situadas na Zona da Mata, com graves repercussões na vida da população", pontuou o presidente da comissão.

O Hoje em Dia conversou com Antônio Carlos, o Toninho, que é diretor do Sindicato dos Metalúrgicos da cidade e também funcionário há 20 anos da fábrica de Juiz de Fora. Para ele, a audiência e a paralisação desta segunda foram muito positivas. "Falaram que nunca teve uma audiência pública na Câmara com tantas pessoas da população. As nossas reivindicações foram apresentadas e tiveram alguns pontos que serão levados para o governador", afirma. 

Ainda segundo ele, a principal reivindicação da categoria é que o pessoal seja mantido na unidade mesmo com a ida da montagem do caminhão Actros para a cidade paulista. "Hoje temos cerca de 1.150 pessoas e, com essa mudança, seriam perdidos cerca de 600 cargos, mais da metade de todos os empregos. O que nós queremos é só mesmo que esse pessoal seja mantido independentemente da decisão da empresa. Amanhã (terça-feira, 16) teremos uma reunião com o vice-presidente da empresa para negociarmos sobre isso", concluiu Toninho. 

Empresa nega saída e lamenta paralisação

Procurada pela reportagem, a assessoria de imprensa da Mercedes-Benz no Brasil informou que em nenhum momento teria informado que deixaria de produzir em Juiz de Fora. Na mesma nota, a empresa também lamentou a paralisação dos trabalhos nesta segunda, alegando que está passando por um período em que "o mercado de caminhões está retomando suas demandas e estamos deixando de produzir nossas cabines de caminhões para atender os nossos clientes". 

Confira a nota na íntegra: 

"- A Mercedes-Benz do Brasil em nenhum momento informou que deixaria de produzir em Juiz de Fora/Minas Gerais;

- Pelo contrário, sempre reiterou a importância estratégica dessa planta para a Empresa;

- Todos os investimentos da Companhia para veículos comerciais, invariavelmente tem contemplado Juiz de Fora;

- Assim como aconteceu em 2014, com o investimento de 230 milhões de reais para Juiz de Fora e 500 milhões para SBCampo/São Paulo;

- Dos 2,4 bilhões de reais planejados entre 2018 e 2022, também tem um aporte para a planta mineira;

- Sempre foi reiterado de que as duas fábricas produzem em total sintonia;

- Juiz de Fora é responsável pela produção de cabinas e São Bernardo do Campo pela fabricação de caminhões;

- As necessidades de ajustes, tanto na produção como nos processos logísticos, torna a nossa Empresa mais eficiente e competitiva no mercado;

- Buscar constantemente a competitividade é crucial para um segmento totalmente influenciado pelo desempenho da economia, que norteia investimentos e geração de empregos no País;  

- A Mercedes-Benz do Brasil lamenta a parada da produção durante o dia de hoje em Juiz de Fora (MG);

- Estamos em um período que o mercado de caminhões está retomando suas demandas e estamos deixando de produzir nossas cabinas de caminhões para atender os nossos clientes"

Leia mais:
Montadoras de automóveis cortam mil vagas em um mês
Mercedes Actros: guiamos o Classe S dos caminhões
Presidente da Mercedes teme cenário eleitoral