Pelo menos 40 mil pessoas são esperadas na Expo & Congresso Brasileiro de Mineração – Exposibram 2019, um dos maiores encontros do setor na América Latina, que começa hoje e vai até a próxima quinta. [/TEXTO]Realizado pelo Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram) no Expominas, no Gameleira, região Oeste de Belo Horizonte, o evento conta com expositores de 29 países e centenas de debatedores. O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, participa da abertura.

Durante os quatro dias da Exposibram serão debatidos futuro e presente da atividade econômica, com foco em sustentabilidade, tecnologias, inovações e legislação. O evento conta com feira e congresso.

Em 13 mil metros quadrados foram montados 490 estandes. Entre eles, as principais mineradoras com atuação global e grandes fornecedores de produtos e serviços. No espaço, serão apresentadas as tendências em tecnologia, equipamentos, softwares e outros produtos ligados à indústria mineral, além de dados sobre investimentos e gestão.

Realizado em paralelo à exposição, o Congresso Brasileiro de Mineração atrai a cada edição mais de mil participantes entre especialistas, pesquisadores, estudantes e representantes de empresas. A programação conta com palestras e debates sobre o contexto político e socioeconômico global, bem como as perspectivas dos negócios para as próximas décadas anunciadas pelas mineradoras.

Abertura
O futuro da mineração no Brasil, abalado após o rompimento da barragem de Feijão, operada pela Vale em Brumadinho, região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), será o tema da abertura da Exposibram, hoje, às 14h, com entrada gratuita. 

A tragédia, que deixou 249 mortos e 21 desaparecidos em janeiro deste ano, culminou na paralisação de minas e na retração do Produto Interno Bruto (PIB) nacional, com fortes impactos na produção de riquezas de Minas Gerais. O Estado é fomentado pela atividade extrativa mineral.

Em 2015, a barragem de Fundão, operada pela Samarco em Mariana, região Central do Estado, deixou 19 mortos na cidade e também gerou impactos negativos na economia. 

Na solenidade de abertura serão prestadas homenagens às vítimas das rupturas das barragens de Fundão e Feijão, ao Corpo de Bombeiros de Minas Gerais (CBMMG), à Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG), à Polícia Militar de Minas Gerais (PMMG) e à Defesa Civil de Minas Gerais (DCMG). A Companhia de Pesquisas de Recursos Minerais (CPRM), que completa 50 anos, e a AngloGold Ashanti no Brasil, que comemora 185 anos em 2019, também receberão homenageadas.
Após a abertura, a partir das 15h, o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, participa de um talk-show com CEOs de mineradoras.