Gal Costa cantava Tudo Dói quando alguns escritores e convidados da Flip começaram a deixar a tenda. Era a segunda música do show de abertura da festa e, um pouco antes, o público entrou na área reservada aos vips. Os seguranças se agitaram, os organizadores também - eles logo disseram que a retirada das grades era planejada.

Outros convidados saíram e perderam a chance de ver Gal encantando o público e cantando sucessos como Da Maior Importância, a primeira da noite, Folhetim, Divino Maravilhoso e Barato Total, Neguinho, Dom de Iludir, O Amor, Baby e Vapor Barato.

Ela subiu ao palco às 22h dessa quarta-feira (30), contou que esta era a primeira vez que vinha a Paraty e prometeu mostrar "a poesia cantada". Por mais de uma hora e meia, ela cantou num fôlego só, parando apenas para apresentar a banda, e até tentou fazer a voz de Tim Maia em Um Dia de Domingo, que cantou antes de Miami Maculelê, a última antes do bis.

Na volta ao palco, Mansidão e Força Estranha e Meu Bem, Meu Mal e Gabriela, cantadas em coro. Pela primeira vez, o show de abertura foi gratuito. E a praça estava confortavelmente lotada.