O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou a prorrogação por 60 dias de um inquérito no qual são investigados os senadores Aécio Neves e Antônio Anastasia, ambos do PSDB mineiro.

Com base nas delações da Odebrecht, a investigação apura supostos pedidos irregulares de recursos que Aécio teria feito a executivos da companhia para a campanha de Anastasia ao governo de Minas Gerais, em 2010. Ambos os senadores negam qualquer irregularidade nas doações de campanha.

Gilmar Mendes atendeu a pedido da Polícia Federal (PF), reforçado pela procuradora-geral da República (PGR), Raquel Dodge, que alegou ser preciso mais tempo para inquirição de testemunhas e perícias em provas.

Em nota, as defesas de Aécio e Anastasia disseram que se trata de um procedimento legal, e que faz parte das investigações.

Este é um dos sete inquéritos que tramitam no STF contra Aécio. Ele também é réu em uma ação penal na Corte, relativa à empresa JBS. Uma outra investigação contra o senador, sobre desvios na construção da sede administrativa do governo de Minas, foi remetida à primeira instância pelo ministro Alexandre de Moraes neste mês.

Mesmo investigado, o senador Antônio Anastasia lançou no dia 14 de maio a candidatura ao governo de Minas Gerais pelo PSDB para as eleições de outubro. Aécio neves não compareceu ao evento.

Notas das defesas

Aécio Neves: “A prorrogação é um ato rotineiro e o aprofundamento das investigações mostrará que, como atestado pelos próprios delatores, não houve qualquer vantagem indevida, mas, sim, doação eleitoral registrada na Justiça Eleitoral".

Antonio Anastasia: "Trata-se de um procedimento comum. Os órgãos de investigação tem de ter o prazo que considera adequado para apuração dos fatos".

* Com Agência Brasil

Leia mais:
Marco Aurélio vota contra bloqueio de R$ 7,3 milhões de Aécio e irmã
Tucano tem boa relação com Minas, afirma Anastasia
Ministro do STF envia inquérito contra Aécio para primeira instância