GM lança versões decorativas do veterano Chevrolet Cruze

Marcelo Jabulas
@mjabulas
28/01/2022 às 08:59.
Atualizado em 30/01/2022 às 01:07
 (GM/Divulgação)

(GM/Divulgação)

Nada como lançar uma versão fantasiada para dar uma injeção de ânimo nas vendas de um determinado modelo. A Chevrolet acaba de apresentar a versão RS para o hatch Sport6 e a Midnight para o sedã, repetindo a receita que foi aplicada ao Onix e Onix Plus, em 2020. Um banca o esportivo e o outro, mafioso, como se estivessem prontos para o Carnaval.

O sedã tem preço sugerido de R$ 139.350, enquanto o RS custa nada modestos R$ 154.500. Trata-se de uma intervenção apenas cosmética para a dupla. Daquelas coisas que o consumidor pode fazer na lojinha de som do bairro, quando decide customizar o carro. Uma receita antiga que a GM se faz valer por anos, que inclusive foi adotada na S10 Z71, que o leitor conferiu no HD Auto.

O Cruze RS conta apenas com teto com pintura, aerofólio e frisos em tonalidade preta, além do emblema RS, que foi encaixado na mesmíssima grade do radiador, sobre um dos gomos, sobre o parafuso de fixação. O emblema também se repete na traseira. E a transformação está completa. 

A GM até explica que o Sport6 já era praticamente o RS norte-americano, e que apenas ajustou o visual. “A atual geração do Cruze Sport6 já havia nascido no Brasil com elementos da configuração RS norte-americana, como os para-choques esportivos, os faróis auxiliares horizontais e a saída de escapamento inspirada em carros de competição. Agora esses detalhes extras de acabamento definitivamente credenciam o veículo a receber a chancela desta versão tão cultuada”, explica o gerente de Design da GM América do Sul, Alexandre Ameri.

Cruze Midnight

No caso do sedã, ele é praticamente uma releitura da versão Black Bow Tie, de 2019, com a adição do para-choque do hatch. A novidade é que o Midnight pode ser vendido também com pintura cinza e não apenas preta.

Tecnicamente não há diferenças entre as demais versões desse médio, montado nos arredores de Rosário (Argentina). Acerto de suspensão é a mesma para os dois. A GM afirma que o RS é mais firme, mas o hatch sempre teve um ajuste mais duro em relação ao sedã.

O ótimo motor turbo 1.4 de 153 cv e 24,5 kgfm de torque não passou por ajustes, tal como a transmissão de seis velocidades. O torque está disponível a partir do 1.500 giros, como sempre e o pico surge acima dos 5,6 mil giros.

Conteúdos

O pacote de conteúdos segue o trivial com sistema MyLink (com Android Auto, Apple CarPlay, Wi-Fi e 4G), assim com ar-condicionado digital, chave presencial e bancos revestidos em couro. O quadro de instrumentos segue ana-lógico, assim como a ausência de tecnologias como controle de cruzeiro adaptativo (ACC).

No entanto, não se deveria esperar uma intervenção mais drástica na dupla. A GM não iria gastar dinheiro com ajustes mecânicos num carro que só é fabricado na planta de Rosário e com volumes modestos. 

Assista também!

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por