O governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Tecnologia e Ensino Superior, unificou os programas da pasta ligados à inovação e empreendedorismo em programa lançado nesta segunda-feira (27), o Minas Digital. Com metas ousadas, como a formação e capacitação de 50 a 100 mil profissionais/ano e a criação de 20 hubs de inovação distribuídos nas cidades-polo do Estado, a previsão é de investimentos, entre públicos e privados, da ordem de R$ 1 bilhão em 10 anos.

A partir de setembro, o Estado iniciará a seleção de 600 startups, que posteriormente serão reduzidas a 30. Nessa lista final, haverá investimento entre R$ 100 mil e R$300 mil em compra de participação acionária por parte do Estado para facilitar a viabilização dos negócios.

Nos hubs, funcionarão as salas de capacitação dos profissionais e será o ambiente para instalação das startups. O governo também utilizará a estrutura da já existente Rede UaiTec, um conceito de universidade aberta e integrada que disponibiliza cursos online gratuitos. São 150 unidades espalhadas pelo Estado.

O governador Fernando Pimentel participou da solenidade de lançamento do Minas Digital e fez um pronunciamento de cerca de oito minutos, depois deixou o evento sem falar com a imprensa. O secretário de Estado de Tecnologia e Ensino Superior, Miguel Corrêa, destacou a importância de fomentar o setor de tecnologia, sobretudo em um cenário adverso para a economia global. “O momento é de economia estagnada, mas a economia digital cresce e cresce vultosamente. Então temos que formar jovens programadores, analistas de mídia sociais, produtores de aplicativos e games”, afirmou.

O programa também vai distribuir bolsas de estudo para jovens que forem selecionados como forma de permitir a conciliação do estudo com o trabalho nas startups.

Empreendedores

Belo Horizonte terá um hub de tecnologia no colégio Estadual Central, que será um espaço físico para as empresas do chamado São Pedro Valley, uma associação que representa jovens empreendedores no segmento de tecnologia. “A intenção é criar um ambiente aqui em Minas Gerais que permita manter aqui os talentos mineiros”, disse Corrêa. Ele observou que já existe um cenário favorável, com presença no Estado das maiores empresas de tecnologia do mundo, como Google, IBM, Accenture, Csem, Hitachi e outras.

O secretário de Política de Informática do Ministério de Ciência e Tecnologia, Virgílio Almeida, informou que o governo brasileiro vai anunciar em breve uma parceria com a União Europeia, que inclui financiamento internacional no setor de tecnologia.